terça-feira, janeiro 10, 2006

De volta à casa

Estava eu esperando para deixar a poltrona do avião, quando um homem que estava a duas poltronas de mim disse:

- Férias é bom, mas nada como voltar para casa.

Eu acho que essa frase define bem o que é um retorno. No inglês existe uma expressão muito legal, "There´s no place like home", que diz tudo. Contudo, meus 10 dias fora passaram tão rápidos que nem bem pude avaliar ainda se foram, ou não, o bastante. Estou com medo de que minhas próximas férias sejam apenas daqui a dois(ou mais) anos.

Mesmo assim, estou mais disposto. Hoje foi muito legal rever a rotina no Tribuna. Nem parecia que eu tinha ficado uma semana fora. Ao chegar em casa foi estranha a sensação de que eu não tinha nada para fazer a noite. As minhas últimas semanas de Goiânia, em 2005, foram tão corridas que nem consegui esquecê-las ainda.

E se 2006 for repetir os primeiros 10 dias do ano, e eu espero que sim, devo ter várias novas experiências positivas. Primeiro foi no Reveillón, quando eu bebi todas(e sem ficar bêbado, estranho) além de ter participado da comitiva que acendeu os fogos na hora da virada. Depois, outro dia, acabei debutando ao andar de cavalo. Já tinha tido oportunidade, só que não tive coragem e nem vontade.

Um dia antes de vir para Goiânia acabei tendo a oportunidade de andar de quadricículo motorizado. Muito louco!! Você sai andando numa trilha cheia de obstáculos e desníveis naturais, e vai passando, rampando e desviando de tudo. Muito bom quando vc parece que vai tombar para um lado, joga o seu peso pro outro e ainda sai acelerando.

E na volta acabei fazendo uma loucura financeira. Decidi voltar de avião. Nunca tinha andado. Adorei. Não sei porque tem pessoas que ficam com medo. É tão tranquilo. Ainda mais indo sozinho, pude observar tudo, como sempre gosto. Na hora que sobe e desce é como uma montanha-russa. Só que, obviamente, BEM menos intenso. Quando cheguei em casa, parecia incrível que tinha estado em Bonito, Campo Grande, Londrina, São Paulo e Goiânia no mesmo dia. Para mim, que sempre viajei por terra, isso não tem muita lógica. E, para falar a verdade, meu cérebro, até agora, não entendeu direito isso.

Valeu pelas palavras Fellipe, vamos reunir o povo esta semana sim. Quero saber das novidades, ehehehehe. Gente tenho visitado o blog de todos, mas ainda não tive tempo de postar. Logo, logo estarei fazendo isso.

abraços a todos, fiquem com DEUS!!

2 comentários:

Fellipe Fernandes disse...

Fala Dua!
Palavras são apenas... como dizer e não cair na mesmice? ah! foda-se!... palavras são apenas palavras e o que vale mesmo é o sentimento, e esse há de sobra. Velho, fico muito feliz com suas histórias, pois já há algum tempo não sei bem o que pe viajar... tirando, é claro, Goianésia, Niquelândia, Goiás Velho e Pirenópolis....rsrsrsrs Fico me imaginando fazendo as coisas que você conta, principalmente o avião. Não sei se você sabe, mas a minha grande paixão é o avião. Se eu tivesse inteligência o suficiente para cálculos e afins, eu teria feito Eng. Aeronáuticia. Se eu tivesse que me alistar de verdade, não sabendo que seria dispensado, eu o teria na aeronáutica... como eu sonho com os aviões. Ainda piloto um! pode escrever!!! Mas ainda bem que você está de volta e espero que você conte suas aventuras pessoalmente! Falou, amigão, inté!

Lorena Verli disse...

Não ficou bêbado não... Só de porre!!!! rsrsrsrs... E aí Sartorato?? Quando é que a gente vai se encontrar para colocar o papo em dia... Já estou com saudades de você e do Hebertito!!!! Vamos marcar alguma coisa! Té mais...

powered by Blogger | WordPress by Newwpthemes | Converted by BloggerTheme